segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

LEGALISMO: O mal da igreja do século XXI


Lembra do meu post sobre Legalismo (http://ombrosungidos.blogspot.com/2010/01/legalismo-sou-contra-e-pronto.html)?

Então, agora segue a transcrição da mensagem do Pr. Silas para apreciação de vocês.
Por favor, leiam isso com cautela e me digam se realmente vale a pena seguir ao homem ou à Deus.

Deixe seu comentário. Preciso saber o que você pensa. Preciso saber se você lê a Bíblia. Preciso saber qual o cristianismo você quer viver. Se é o da graça ou o da lei.


LEGALISMO E LIBERDADE CRISTÃ


Galátas 2

Depois, passados quatorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também comigo Tito.

E subi por uma revelação, e lhes expus o evangelho, que prego entre os gentios, e particularmente aos que estavam em estima; para que de maneira alguma não correse ou não tivesse corrido em vão.

Mas nem ainda Tito, que estava comigo, sendo grego, foi constrangido a circuncidar-se;

E isto por causa dos falsos irmãos que se tinham entremetido, e secretamente entraram a espiar a liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão;

Aos quais nem ainda por uma hora cedemos em sujeição, para que a verdade do evangelho permanecesse entre vós.

E, quanto àqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham sido noutro tempo, não se me dá; Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo que pareciam ser alguma coisa, nada me comunicara.

V. 16

Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificado pela fé de Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada.

Gálatas 3:10,11

Todos aqueles pois que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.

E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé.

A carta aos Gálatas é um dos maiores documentos da bíblia sobre fé e liberdade cristã. Se não houvesse a carta aos Gálatas, toda igreja cristã estaria mergulhada em ritos judaizantes. Mas mesmo com a carta aos Gálatas muitas igrejas cristãs estão mergulhadas em um legalismo farisaico e muitos cristãos querem se parecer com os judeus. A verdade é que essa questão do legalismo farisaico e cristãos querendo ser judeus tem contaminado a pureza do evangelho, tem perturbado a fé de muitos e tem impedido que muitos venham ao conhecimento da verdade. Porém, a verdade que liberta é Cristo e em Cristo o evangelho é completo.

Como o apóstolo Paulo e a bíblia tratam da questão do legalismo?

Vamos entender porque estaremos falando sobre esse assunto.

Depois de 14 anos da conversão de Paulo, ele volta a Jerusalém para fazer a defesa do seu apostolado. Ele leva consigo Barnabé e Tito. Paulo usou de inteligência e estratégia porque Paulo volta a Jerusalém onde estavam as colunas da igreja, Pedro e Tiago, com Barnabé e Tito.


Barnabé:

*Barnabé era Judeu (At. 4.36).

*Barnabé era um homem de confiança da igreja de Jerusalém. Prova disso é que ele foi enviado a Antioquia para observar aquele trabalho novo, isto é, a conversão de gentios (não-judeus) ao cristianismo (At. 11.22).

*Barnabé era um homem bom, cheio de Espírito Santo e de fé (At. 11.24).

*Barnabé participou da evangelização de gentios trabalhando pela a edificação de gentios em Cristo e unidade da igreja.

Portanto, Barnabé era uma poderosa testemunha a favor de Paulo, pois gozava da confiança de todos.

Tito:

*Tito era grego.

*Tito era o “troféu” do apóstolo Paulo para mostrar aos judeus a conversão de gentios.

Mas afinal de contas, o que está em jogo? Por que Paulo volta a Jerusalém para defender o seu apostolado e a sua pregação?

O que está em jogo é o que está no versículo 5: “A VERDADE DO EVANGELHO.”

O que estava acontecendo, então?

Os judeus criam que Jesus era o messias, aceitaram a Jesus com o salvador, mas eles também tinham o seu bojo doutrinário, a questão que tanto os judeus como os gentios tinham que obedecer a lei judaica. Os gentios teriam que participar da circuncisão como uma demonstração de obediência a lei judaica.

É por isso que Paulo vai fazer a defesa do evangelho, porque mesmo os judeus, que tinham aceitado a Cristo e reconheciam Jesus como o Messias, não queriam abrir mão do legalismo judaico. Porque o texto sagrado diz que: PELA LEI NINGUÉM SERÁ JUSTIFICADO. (Gl. 2.16)

Eis uma verdade absoluta diante essas conclusões:


“A suprema revelação do evangelho está em uma pessoa, Jesus Cristo, e não em um código de leis, rituais e costumes de denominação ou igreja evangélica.”


A experiência da fé Cristã é demonstrada pelos frutos e não pela obediência a um código legal inventada por qualquer igreja.


Eis uma frase “idiota” dita por muitos líderes de igrejas:

“Não existe sã doutrina sem bons costumes.”

Esta frase aparentemente parece ser boa. Mas ele dá idéia de exatamente como fizeram os fariseus no tempo de Jesus:

“Deus deu a lei, mas nós vamos inventar aqui mais 600 regras pra ajudar a Deus, porque a lei não é suficiente...”

“A sã doutrina não é suficiente, ela precisa da ajuda de alguns dogmas ou de algum bom costume da igreja.”

O termo “bom costume” até parece ser um termo bom. Mas o que é “bom costume” para os legalistas? É o cabelo das irmãs, o batom que a irmã usa, o brinco, a calça cumprida...

Se falasse do “bom costume” de amar ao próximo, de perdoar, de ser íntegro, de ser honesto... a frase não seria “idiota”.

E quando dizem que não existe sã doutrina sem “bons costumes”, vamos a verdade: eles colocam o costume no nível da doutrina, porque existem muitos crentes excluídos por causa de costume e tem crente que não pode ter cargo na igreja por causa de costume. Portanto equipararam o costume a sã doutrina. Mas a sã doutrina não precisa de “bengala” ou de “muleta” de denominação nenhuma. Ela tem o poder próprio da palavra de Deus e da revelação de Jesus Cristo.

A evidência da fé Cristã não é a obediência a ritos ou dogmas, é fruto ou frutos.

Jesus disse em João 15.8:

“E a natureza gloriosa do meu Pai se revela quando vocês produzem muitos frutos e assim mostram que são meus discípulos.”

Para que Deus seja glorificado, eu tenho que produzir frutos. Para que eu possa ser chamado discípulo de Cristo eu tenho que produzir frutos.

Mas o que são frutos?

Note que não estamos nos referindo a fruto do espírito.

Frutos é tudo aquilo que produzimos de bom a partir do momento que você foi transformado pelo poder do evangelho.

Jesus disse em João 15.16:

“Não foram vocês que me escolheram; pelo contrário, fui eu que os escolhi para que vão e dêem fruto e esse fruto não se perca. Isso a fim de que o Pai lhes dê tudo que pedires em meu nome.”

Os discípulos foram determinados a produzir frutos.

Em João 14.21 está escrito:

“A pessoa que aceita e obedece aos meus mandamentos prova que me ama. E a pessoa que me ama será amada pelo meu Pai, e eu também a amarei e lhe mostrarei que sou.”

A pessoa que ama a Cristo é aquele que guarda os mandamentos do Senhor e não um código legal de costumes imposto por igreja ou denominação.

E então, existe diferença entre o legalismo de hoje e o legalismo do passado?

A única diferença é: o que obedecer e o que seguir.

Vamos analisar as características do legalismo de hoje:

Roupa:

Dt. 22.5 diz:

“As mulheres não podem usar roupa de homem, nem os homens usar roupa de mulher; o Senhor, nosso Deus, detesta as pessoas que fazem isso.”

Esse texto é da lei. Não tem nada a ver com a graça. Roupa de homem ou de mulher não tem nada a ver com a graça. Se formos obedecer a isso, teríamos que estar obedecendo também as diversas outras leis muito severas como por exemplo:

Dt. 21.15:

“Pode acontecer de que um homem tenha duas mulheres e ele goste mais de uma do que a outra...” – ou seja, o indivíduo podia ter mais de uma mulher.

Dt. 21.18-21:

“Pode ser que um homem tenha um filho teimoso e rebelde, que não obedece aos pais, nem mesmo depois de ser castigado. Então os pais devem levá-lo aos líderes da cidade e no lugar de julgamento na praça pública eles dirão: “O nosso filho é teimoso e rebelde; ele não nos obedece, gasta dinheiro à toa e é beberrão.” Aí todos os homens daquela cidade o matarão a pedradas, e assim vocês tirarão o mal do meio do povo.”

Se você tiver um filho rebelde, você terá que contar para os lideres da cidade e o seu filho será apedrejado em praça pública.

Lv. 12.2-5:

“Quando uma mulher der a luz a um filho, ficará impura sete dias, assim como acontece durante a menstruação. No oitavo dia o menino será circuncidado. Depois disso, por causa da perda de sangue, ela ficará impura por mais trinta e três dias. Durante esse tempo não poderá tocar em nada sagrado, nem poderá ir até a Tenda Sagrada.

Se der à luz uma filha, a mulher ficará impura catorze dias, como acontece durante a menstruação. Depois disso, por causa da perda de sangue, ela ficará impura por mais sessenta e seis dias.”

Isso significa que se a mulher tiver um filho homem, ela não poderá ir a igreja por 33 dias. E ainda tem que circuncidar o filho, que era a marca do pacto que Deus fez com Israel. E se tiver uma filha, não poderá ir a igreja por 66 dias.

Lv. 19.27:

“Não cortem o cabelo dos lados da cabeça, nem aparem a barba.”

O texto é bem claro.

Lv. 21.5:

“Os sacerdotes não podem rapar a cabeça, aparar a barba ou cortar-se em sinal de luto.”

O texto é bem claro.

Tiago 2.10 diz:

“Porque quem quebra um só mandamento da lei é culpado de quebrar todos.” – referência a Deuteronômio 27.26: “Maldito seja todo aquele que não obedecer a essas leis de Deus.” E o apóstolo Paulo repete isso em Gálatas 3.10-11.

Se um líder de uma igreja coloca a sua igreja debaixo do legalismo, segundo Gálatas 3.9-10, ele estará debaixo de maldição.

Textos utilizados pelos legalistas no Novo Testamento:

1Pe. 3.3-6 diz:

“O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura de vestes, mas o homem encoberto no coração, no incorruptível trajo de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus. Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus e estavam sujeitas ao seu próprio marido, 6como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor, da qual vós sois filhas, fazendo o bem e não temendo nenhum espanto.”

Vamos interpretar o texto, utilizando a semântica (o “água com açúcar da língua”).

Quando o apóstolo Paulo diz: “O enfeite delas não seja...” Ele está se referindo a prioridade e não a proibição. A prioridade é um espírito manso e quieto, submissão ao marido. Ele quer dizer que existe algo mais importante do que o exterior. Você não pode ser admirado pelo mundo pelo exterior.

Se a mulher não pudesse usar brinco, então ela não poderia usar nenhuma peça de adorno (broche, penteados, relógios com pulseiras finas, qualquer jóia ou enfeite...), elas teriam que usar vestidos feios e ainda chamar o marido de senhor.

1Co 11.13-16 diz:

“Julgai entre vós mesmos: é decente que a mulher ore a Deus descoberta? Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o varão ter cabelo crescido? Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu. Mas, se alguém quiser ser contencioso, nós não temos tal costume, nem as igrejas de Deus.”

Pela hermenêutica, o estudo da interpretação, texto sem contexto é pretexto para heresia. Tudo que os apóstolos falam tem que ter contextos. Qualquer regra do antigo testamento para ser obedecida, deve estar escrita várias vezes no novo testamento. Por exemplo, dos dez mandamentos, nove são obedecidos. O mandamento de guardar o sábado não é obedecido, porque não é repetido no novo testamento. Não há ordenância para guardar o sábado.

A passagem de 1Co 11.13-16 está escrita apenas essa vez na bíblia. Não existe mais nenhuma referência a este mandamento de Paulo na bíblia. Para ser doutrina para a igreja de hoje, deve haver contexto.

Portanto, vamos analisar o contexto da passagem. Vamos analisar a cidade de Corínto.

Primeiro, em Corínto, as prostitutas andavam de cabeça rapada. Cabelo curto em Corínto era sinal de punição de adultério ou luto pela morte do marido. Hoje, cabelo curto não tem esses significados.

Segundo, onde está a medida do cabelo? Como se define cabelo curto/longo para homem e mulher.

Terceiro, se isso é doutrina para a igreja, Deus é preconceituoso, porque muitas em mulheres negras, por natureza, o cabelo não cresce.

Agora, se isso é doutrina para igreja, os legalistas são tão hipócritas, que é só ir um pouco adiante no texto, para o capítulo 14.34-35 que diz:

“As mulheres estejam caladas nas igrejas, porque lhes não é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é indecente que as mulheres falem na igreja.”

Então, as mulheres não poderiam falar nas igrejas, isto implica, que mulher não poderia ter nenhum cargo ou atribuição na igreja. Mas analisando o contexto, sabe-se que as mulheres estavam fazendo questionamentos abertos nas igrejas, arrumando confusão durante o culto. Então, Paulo faz a exortação.

Os legalistas deviam ser coerentes com aquilo que crêem, pelo menos. Mas na verdade estabelecem aquilo querem seguir ou não. Eles determinam o que acham o que é bom costume ou não. Assim como os fariseus, eles acham que todas essas regras e costumes “ajudam a santidade”. Os fariseus queriam impor várias regras que achavam que ajudaria o povo obedecer a lei.

O texto a seguir vai de frente a esse pensamento. É o texto áureo de aos Colossenses 2:20-23:

“Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens; as quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum, senão para a satisfação da carne.”

Ordenâncias humanas de costume social ou religioso não ajudam a santificação. É apenas aparência. Não tem valor algum senão para a satisfação da carne.

Características de Legalistas na Bíblia:

*Falso irmão (Gl. 2.4);

*Intrometidos na vida alheia (Gl. 2.4);

*Espiadores da vida alheia (Gl. 2.4);

*Dominadores (Gl. 2.4);

*Quando Deus fez o homem em Gênesis, Ele mandou que o homem domina-se sobre todas as coisas, mas não mandou que um homem domina-se sobre o outro.

*Hipócritas (Gl. 2.11);

*Paulo resistiu a Pedro na cara, quando Pedro se fez hipócrita quando estava comendo com não-judeus. Quando chegaram irmãos mandados por Tiago, ele se fez de desentendido e não queria comer mais com eles, com medo desses irmãos que eram a favor da circuncisão dos não-judeus.

*Fariseus (Mt. 23);

*Elite religiosa que sub-julgava o povo;

*Falam mais não fazem;

*Impunham ao povo um fardo pesado que nem eles e a família deles praticam;

*Engolem camelo e se engasgam com mosquito;

*Sepulcos caiados;

*Não entram no Reino de Deus e fecham a porta para outros entrarem;

Paulo foi firme com muita convicção diante a pressão legalista. Gálatas 2.5:

“Aos quais nem ainda por uma hora cedemos em sujeição.”

Paulo disse: EU NÃO ME SUBMETO!

A continuação do versículo:

“Para que a verdade do evangelho permanecesse em vós.”

A verdade do evangelho é mais importante do qualquer dogma denominacional.

Versículo 6:

“E, quanto aqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham sido noutro tempo, não se me dá, Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me comunicaram.”

Paulo tinha 14 anos de convertido e estava de frente com os colunas na igreja, Pedro e Tiago. Não devemos nos submeter aos legalistas. Ainda que sejam mais velhos e experientes, mas a Palavra tem muito mais idade do que eles.

Paulo quis dizer que não tinha medo de líder religioso nenhum. Não tinha medo de aparência religiosa, porque a verdade do evangelho é maior do que eles.


Diferenças do legalismo para a graça:

*Legalismo: Quer que todos sejam iguais. Graça: a diferença os perturba, porque manifesta seus defeitos.

*Legalismo: Quer que todos sejam iguais para que não descubram as sua limitações e defeitos. Graça: Se alegra com a diferença, sorri para a variedade e tem muito espaço para a contradição de idéias. Paulo resistiu a Pedro na cara. Em Atos 15, Paulo teve uma discussão violenta com Barnabé acerca de João Marcos mas não foram repreendidos pelo Senhor.

*Legalismo: Se utiliza de manipulação da intimidade e usa a intimidação e a repressão. Graça: Nos faz ser livres. Nos faz aceitar o outro como ele é.

*Legalismo: Temos que agradar quem está na frente da denominação. Graça: Não precisamos agradar a ninguém e sim a Deus.

Na graça somos livres. Quer dizer então que podemos fazer qualquer coisa?

Gálatas 5.13 diz:

“Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis, então, da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pela caridade.”

1 Coríntios 6.12 diz:

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.”

1 Coríntios 10.23 diz:

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.”

1 Tessalonicenses 4.4 diz:

“que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra”

Cada um tem que saber usar a sua vida. Não é o outro que vai dizer o que é santo ou não.

*Legalismo: Trabalha com previsibilidade e mediocridade, o que aborrece a Deus. Graça: trabalha com variedade. Por isso temos vários “estilos” de igreja. Numa bate palma, na outra não bate. Numa tem louvor adoração, na outra tem o hinário. Numa igreja tem coral, e na outra só tem ministério de louvor... Mas não podemos condenar nenhuma delas, pois estamos na graça. Se a irmã quiser usar um vestido bem longo, cobrindo tudo, amém. Mas se a outra quiser usar algo mais moderno, desde que seja descente, não podemos condenar também, pois estamos na graça.

*Modelo do Legalismo: Código de normas. Modelo da graça: a pessoa maravilhosa de Jesus Cristo. É por isso que está escrito em 1 Co 11.1: Sede meus imitadores como eu sou de Cristo. E está escrito em Jo 2.6: Aquele que diz estar nEle deve andar como Ele andou.

*Fundamento do Legalismo: “VENTO”; o vento passa. Antigamente não podia ver TV, hoje pode ver TV, antigamente não podia jogar bola, hoje pode jogar bola, antigamente não podia andar de moto, hoje pode andar de moto. Fundamento da graça: rocha chamada JESUS CRISTO.

Conclusão

Afinal de contas, o que tem valor para o Cristianismo? Ser um legalista ou ser um liberal moderno?

Aqui está o CONTRA para quem quer usar do legalismo ou para quem quer usar da liberdade cristã para achar que pode fazer qualquer coisa:

Gálatas 5.6:

“Porque, em Jesus Cristo, nem a circuncisão nem a incircuncisão têm virtude alguma, mas, sim, a fé que opera por amor.”

Ser legalista ou ser liberal moderno não tem valor algum. O que tem valor é a fé que opera por amor. É a fé do centurião, não é a fé radical seja por cristãos, islâmicos ou de qualquer religião. Não é a fé que te controla, te impune, te desgraça, mas é a fé que opera pelo amor, esperança, ânimo.

Gálatas 6.15:

“Porque, em Cristo Jesus, nem a circuncisão nem a incircuncisão têm virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura.”

Quando o homem é realmente transformado pelo poder do evangelho de Jesus Cristo, ele passa por uma mudança radical na sua vida: novo pensar, novo sentir, novo agir, que não depende de um código de leis e costumes.




8 comentários:

Beto Martins disse...

A verdade foi dita aí, porém com certeza muitas pessoas fecharão os olhos para isso para que não "atrapalhe" sua comodidade! Pessoas que a vida toda ficaram debaixo de dogmas e conceitos errôneos que não conseguem mais sair dessa "casca", desse "casulo" que a ignorância na palavra de Deus causou! É mais fácil para essas pessoas ficarem debaixo da maldição do que conhecerem a verdade! A verdade é que eles não pensam mais em mudar, não pensam em evoluir! A estagnação já faz parte de suas vidas e se você fala algo contrário ao que pensam eles são capazes de fechar os ouvidos a terem de Se Mexer! E com isso vem a visão que muitos têm dos Crentes como pessoas analfabetas ou de fácil manipulação, pessoas iletradas e burras! Por causa da comodidade, conformados com a situação, estagnados...
Eu como um cristão que sempre questionou os dogmas impostos pela igreja na qual me encontrava, tenho nessa pregação do Malafaia a base necessária para refutar qualquer Tentativa de respostas, se é que tem resposta, daqueles que vivem sob a lei, ou melhor, tentam viver sob a lei né, pois nem isso conseguem....

Pr. Carlos Roberto disse...

Prezada Elaine Castro,

A Paz do Senhor!

parabéns pelo seu blog que acabo de conhecer!
Grato pela honrosa visita ao POINT RHEMA, bem como pelo incentivador comentário.
Deus continue abençoando a sua vida e ministério!

De agora em diante passo a seguir o seu lindo blog e também estou incluindo no rol de blogs que acompanho no POINT RHEMA!
Confira lá!

Um grande abraço!

Seu conservo em Cristo,
Pr. Carlos Roberto

Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

Uma alegria conhecer seu ótimo blog. O Eterno resplandeça o rosto Dele sobre ti.

Medite no Sl 36.8,9

Feliz 2010!

Nele, Pr Marcelo

Visite>> http://davarelohim.blogspot.com/

e participe do concurso de 1 ano do meu singelo blog. Os ganhadores ganharão 2 livros e 1 mensagem inédita em dvd.

Hállan Nunes disse...

O Legalismo nos aprisiona,
a graça nos faz Livre, livre no Sangue de Cristo.
Que este texto faça muitos pensarem, e se questionarem a fim de que Deus seja exaltado e sua obra cresça.
E mudanças aconteçam por fora MAS PRINCIPALMENTE POR DENTRO !!!!!

BEIJO, Deus te abençoe Elaine !!!

To sempre aí, té !

neiver disse...

Esse texto foi um dos mais interessantes que já li em seu blog, o bom seria se muita gente, desse crédito a ele, e comessassem a viver a verdade que é o evangelho de DEUS e naum tais regrinhas que muita das vezes impede muita coisa na nossa adoração e louvor!

Bjus Elaine que DEUS continue abençoando sempre sua vida dando sempre essa linda sabedoria!

paz de DEUS!

Jane | Beijo de Pracinha disse...

Sensacional esse texto! Eu digo sempre que os legalistas existem porque as pessoas querem legalismos. Nao querem a liberdade, porque administrar a liberdade da trabalho. E mais comodo que alguem diga "faca isso, nao faca aquilo e voce vai pro ceu". Sao regrinhas relativamente faceis e voce nao precisa refletir muito. Cristianismo comodista! Perdoar, questionar, estudar contextos para entender os textos, amar o proximo, amar o inimigo, dar de comer a quem tem fome, de beber a quem tem sede, amparo a viuva ou visitar os presos... isso tudo da muuuuito trabalho. Beijo!

Luiz Duarte disse...

Olá, gostei muito deste texto.
Estava procurando entender o que era legalismo judaico e achei uma aula.
Estou impresionada com a defesa de Paulo e pela clareza do Pr. Silas.
Grato

isa disse...

A paz do Senhor a todos.Há algum tempo atrás surgiram alguns questionamentos em minha mente sobre se aquilo que a minha igreja impõe como regra incontestavél é realmente importante para Deus. Comecei a procurar sobre assuntos de usos e costumes e descobri que tudo aquilo que achava que era certo (e que usei para julgar pessoas muitas vezes)não passa de legalismo de homens e que não tem nenhum embasamento bíblico.As igrejas estão cheias de gente que só dão importãncia a aparência.Se a pessoa tiver com a saia lá no pé, sem brinco e a vida desmantelada tá tudo certo, afinal, o que vale é o exterior. Mas ouse qualquer uma colocar um brinco e calça cumprida e é logo chamada de rebelde e desconvertida, mesmo tendo um desejo profundo de servir a Deus. Tô cansada de viver presa a jugos humanos, graças a Deus descobri a verdade a tempo de me livrar dessa casca. "Eu era cego mas agora vejo". Orem por mim.