terça-feira, 9 de março de 2010

Revelações de Angélica do BBB 10 no "Mais Você" me causam contrição



Hoje, de manhã, ao acordar atrasada para o trabalho, liguei a TV. Já estava quase no final do “Bom dia Brasil”, e quase na hora do programa "Mais você". E eu, particularmente, gosto da Ana Maria Braga. Gosto de jeito doce, inteligente e do tom invasivo do seu programa, Mais Você. Gosto ainda mais do Louro José. (Gosto tanto que o amor me deu um de aniversário. Ele é lindo, por sinal... as crianças quando vão lá em casa querem levá-lo pra casa...)
E eu estava me arrumando e ouvindo o programa, quando Ana Maria disse que iria receber uma visita importante e polêmica. Ela anunciou que seria uma ex-BBB, que causou estranheza da parte de alguns e simpatizantes, também. E como eu, sou completamente leiga com relação ao BBB – não assisto, não curto, não recomendo e abomino! – continuei a me arrumar e nem dei bola. Daí ela chama a menina e coloca o seu depoimento, a entrevista inicial, veiculada, antes do BBB entrar no ar.
“Eu sou muito correta e não vou vender meus valores nem por um milhão”, declarou a moça, que tem por nome Angélica, conhecida como "Morango" (nem sei o porquê do apelido). Até aí, nada de polêmicas, aliás, que bela declaração. Mas parei e fiquei estatelada diante da TV quando ela soltou: “já tive alguns namorados, mas descobri que eles não me faziam felizes”.
Pasmei. Vocês vão dizer, ah Elaine, todo sabia que nessa edição do BBB tinha gays e lésbicas... Ok, gente! Eu não sabia... Sei que tem um tal de Serginho... e ainda sei por causa do twitter... de tanta gente que fica falando, lá. Estou realmente alheia quanto a TV ultimamente, e dou graças a Deus por isso, por não ter tempo de sentir vontade de assistí-la.
Mas o que eu quero enfatizar não é o fato dela ser lésbica e não ter vergonha de abrir isso para o Brasil inteiro, o que realmente chamou minha atenção foram as declarações que ela fez sobre sua mãe.
Ana Maria a indagou sobre o fato dela pouco falar na mãe, e a perguntou o por quê. Ela disse assim: “Eu não entendo como duas pessoas tão diferentes puderam se casar e viver juntas!”. Primeiro ponto. Há algo de muito diferente no sentimento dela com relação a mãe e ao pai. Visivelmente ela não tem admiração pela mãe e existe uma causa para isso.
Logo em seguida, ela não fez rodeio e logo disparou: “Minha mãe me usou no período da separação com meu pai”. A Ana logo pediu que ela falasse sobre essa experiência para servir de exemplo aos casais que se separam e usam os filhos para chamar atenção, ou qualquer coisa do tipo.
A questão é que isso aconteceu quando ela tinha cerca de oito anos de idade o irmão, era um pouco mais novo. A mãe, praticamente, fugiu com os dois para Santa Catarina e não avisou ao pai que ficou durante dois anos e meio a procura dos filhos.
A revolta dela é que a mãe não lhe prestou os cuidados necessários e a largava para cuidar do irmão, mesmo sendo ela, muito pequena, e a tratava mal, batendo e fazendo outras coisas, achando que contribuía para a sua educação.
Ela alimentou isso durante a vida inteira e nunca perdoou a mãe por tê-la tirado do convívio dos pais, dos avós e de tê-la feito enfrentar situações que ela não queria enfrentar se tivesse no seio do lar, como estava, antes de “fugir”. Durante anos, ela teve uma relação conturbada com a mãe e há cerca de dois anos ela não fala com ela.
"Ela tem dito por aí que nos tirou do nosso pai, porque ele nos espantava. Mas é mentira, ela que nos batia por qualquer coisa. Ela fez isso para nos usar contra ele", ela falou revoltada e com os olhos cheios de lágrimas.
A menina disparou em um choro em rede nacional. Abriu, literalmente, o berreiro, chorou e muito... A Ana Maria não sabia mais o que fazia, e tenho certeza, que pensou, “o que eu fiz? Não deveria ter invadido tanto a vida emocional dessa moça”.
Pois bem, na hora hora o Espírito Santo me incomodou e falou fortemente ao coração sobre a origem da homossexualidade dela.Ele começou a falar sobre as brechas abertas em sua vida, de traumas, de sequelas das dores sofridas, da falta de admiração, tudo pela falta de sabedoria de sua mãe, que irresponsavelmente agiu com seus filhos dessa maneira. Eu não ouvi o outro lado e nem sei as causas que a levaram a tomar uma decisão como essa, de pegar os filhos e sumir no mundo. Angélica até insinuou sobre namorados e relacionamentos que a mãe teve durante esse tempo.
O que eu pude entender e perceber, é que, inconscientemente, ela sabe que a mãe teve algum sofrimento no relacionamento com o pai e que presenciou situações conturbadas com outros homens em Santa Catarina. A admiração ao pai vem de um corte que ela sofreu da mãe, justamente em um período em que a personalidade dela estava se formando. A referência dela do que seria uma mulher estava distorcida, completamente.
Aí entra a ação demoníaca, que muda valores e transforma o certo em errado e muda o natural, criado por Deus.
Essa moça, ao alcançar a maturidade, percebeu que podia usar de uma arma para mostrar que, tudo que sofreu lhe causou danos irreversíveis, e que ela poderia viver com eles e tirar proveito disso.
Percebi que, quando a Ana Maria falou e indagou sobre o fato dela não falar com a mãe há dois anos, que a ferida está muito aberta, que ela tem raiz de amargura no coração, que lhe causa muito mal!
Eu chorei ao ver a infelicidade dessa moça e por estar doente, muito doente emocionalmente, e o Espírito Santo me incomodou porque como ela, existem muitos assim, em nossas igrejas. Que lutam contra um sentimento e um desejo carnal, provocados, em muitas situações, pela criação, por crenças inconscientes, provocados por um lar extremamente severo e sem nenhum diálogo.
Não estou culpando os pais por tudo, mas sei que somos frutos do meio que vivemos e, também, de nosso passado. Só não devemos deixar que o passado governe o nosso presente, e nem, muito menos, o nosso futuro.
Estou orando por essa moça e clamando a Deus, que coloque em seu caminho alguém, cheio da autoridade de Deus para lhe fazer um tratamento chamado cura interior e de emoções.
Tenho certeza de que, quando ela se libertar dessa culpa, desses traumas e liberar perdão, ela será liberta dessa homossexualidade e voltará a sorrir.
Que Deus tenha misericórdia dessa moça, que, de peito aberto, fez revelações acerca de algo que a persegue e a atormenta.

11 comentários:

Anônimo disse...

Cara autora,
é certo que os pais, o ambiente e uma série de fatores externos realmente influenciam mais do que podemos compreender nossa formação de caráter. Mas isso é só até um ponto. Depois entra o também divino "livre-arbítrio", nosso passado não pode ser mudado, mas a chave para o futuro está em nossas mãos, cabe a nós mudarmos qualquer situação que não nos faz felizes. E mais ninguém.
Quanto ao homosexualismo da Angélica, me preocupa que existam pessoas como você que "AINDA" acreditam que uma das condições humanas mais antigas que existem possa ser "curada". Talvez essa mesma cura possa ser usada em negros, judeus, deficientes, enfim todos aqueles que sofrem diariamente preconceito de pessoas que se julgam com o direito de julgar seus iguais.
A única cura que deveria atingir toda a humanidade e principalmente pessoas que pensam como você é a de respeitar e amar o próximo como a nós mesmos(essa frase é de um homem que talvez você conheça).
Att, Lara

Jônatas Castro disse...

"...que existam pessoas como você que "AINDA" acreditam que uma das condições humanas mais antigas que existem possa ser "curada"." Rsrsrsrs...
Certamente, você não é cristã e não acredita no poder da graça, minha querida.
O princípio principal do evangelho é o amor sim! E esse amor foi demonstrado quando JESUS morreu na cruz, permitindo que esse tipo de doença gerada pelo PECADO, fosse curada!
E essa cura é gerada por uma coisa que se chama FÉ! Fé é o firme fundamento das coisas que não se vêem! Mas eu to falando da fé, movida pelo amor. Não da fé radical (como os mulçumanos).
Pode ser contraditório, mas fé não é utopia!
Tudo isso é bíblico! Principal fonte desse blog. Agora, se não concordas, paciência... Rsrs... Que o Espírito Santo toque seu coração e mude sua mente!

Elaine Castro disse...

Caro amigo anônimo...
Em quase tudo que você disse eu vejo razão.
Mas talvez você tenha compreendido errado o que eu disse. Eu não chamei a homossexualidade da moça de "doença". O que eu chamei de doença foram os traumas, as mágoas e ressentimentos e crença inconsciente que levaram essa moça a escolher e "sentir atração por mulheres". Mas eu páro pra pensar. Se ela é homessexual, é porque ela escolheu? Ou simplesmente, porque percebeu que um dia não sentia mais atração por homens e sim por mulheres?
Eu não acho que isso seja uma escolha, isso simplesmente aconteceu inconscientemente. Talvez ela tenha escolhido persistir nisso e assumir, sem medo. Isso sim foi uma escolha.
Eu não toquei na questão do livre arbítruo porque não precisa. Essa questão de escolher é muito óbvio e mais óbvio ainda seria dizer que essa moça é infeliz. É visível. Ela está doente emocionalmente, não porque é lésbica, mas porque é traumatizada.
Hoje assisti de novo uma entrevista na mãe dela em outro programa e a mãe disse que a procurou e pediu perdão, antes dela entrar no programa. E disse que ela lembrou de uma situação, lá atrás, quando a mãe deu razão a um namorado e não a ela.
Isso fez com que ela alimentasse a distorção da visão que tinha do pai, também, ou melhor, da figura "homem".
Outra situação que a mãe revelou foi a forma como o pai tratava a filha. Ele era grosso e quando chegava do trabalho, se ela estivesse assistindo a TV em um canal, ele desligava e empurrava a menina e coloca no canal que ele queria, sem pedir licença.
O mais interessante de tudo e eu não sabia disso ontem, quando escrevi o texto, foi que o pai tomava banho com a menina, quando ela tinha cinco anos.
Não preciso dizer mais nada, né? Não estou insinuando que ele abusou dela sexualmente, aliás a mãe nem disse isso. Só revelou que não concordava com esse tipo de intimidade.
A figura "homem" pra menina nunca foi vista da forma correta. Olha o que ela ganhou da vida: repulsa a homens. E à mãe ficou a raiva por não tê-la apoiado e hj ela justifica a sua "escolha" por ser homossexual , dizendo que a repulsa dela é pela mãe (mulher).
Alguém pode me chamar de louca, mas isso é uma leitura minha pessoal, pautada pela psicanálise, e inspirada pelo Espírito Santo.

Quando à frase sobre amor que você disse, que talvez eu conheça o autor, realmente conheço o autor. Não de ouvir falar, mas de andar com Ele.
Foi Ele quem perdoou pessoas das quais a sociedade abominava, como a mulher pecadora, a adúltera, o cobrador de impostos corrupto, entre tantos, dos quais ele sempre dizia: Vai, teus pecados estão perdoados, mas não peques mais.
Eu amo o meu próximo e o respeito. Amo tanto, que fiquei incomodada com a infelicidade e tristeza nessa moça, e estou orando por ela para que ela encontre Jesus e seja curada de todas essas dores.

martins111 disse...

Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias.
Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/

Preta disse...

Eu lí tudinho, e concordo plenamente com vc. Assisti uma palestra sobre homosexualidade no CECADS (Instituto de teologia) feita por uma psicóloga cristã, e ela fala abertamente que o homosexualismo é fruto de traumas, principalmente na infancia. Bjs

Preta disse...

PS: Quanto ao 'Anonimo'Em momento algum Elaine, em seu post você deixou de demonstrar sentimento em relação a Angélica, pedir a Deus que ela alcance cura emocional e possa sorrir novamente não é um desafeto, muito menos uma atitude preconceituosa, vendo que, a Angélica demonstra tdo seu sofrimento em rede nacional. Uma pessoa que chega a este ponto, é feliz?

neiver disse...

Elaine, essa foi a melhor matéria q já pude ler no seu blog, realmente existem muitas pessoas nesse mundo e até mesmo dentro de nossas igrejas precisandu de uma cura, mais naum uma cura normal, mais sim uma cura que liberte de verdade, pois existem pessoas que estão com seus pisicológicos totalmente machucados, pelos traumas de infância e por outras coisas mais, e principalmente são pessoas que precisam de cuidados especiais. Fiquei muito feliz por sua preocupação a respeito disso, e tenho certeza que o Espirito Santo de DEUS, já está entrando com as providêncian necessarias! Te admiro muito Elaine, por sempre estar com essa sabedoria divina! Vamos orar por essas pessoas, elas precisam ser felizes de verdade!

rebeca disse...

Concordo com o conteúdo do texto da Elaine. E essa moça realmente precisa de cura emocional, cortar o mal pela raiz, raiz de sentimentos que deturpam o modo dela se ve e ver a vida e de ser livre. Pq por eqto ela é presa ao passado, as dores, aos traumas, aos sentimentos que fizeram ela parar. Ela precisa perdoar e se sentir perdoada. Precisa tirar o sentimento de culpa que ela tem tbm. Assim como ela tem mtas pessoas nessas condiçoes.. que deixaram sentimentos ruins criarem raiz, e isso devasta o emocional. ela é uma pessoa que precisa se sentir amada, principalmente pelo amor infinito e incondicional de DEus.
vamos orar por ela.

blogger p/ Aida Lucas Barbosa disse...

sou a mãe da morango e hoje é que vi este comentário, e voce garota é uma pessoa iluminada por Deus e tem conclusoes que a Ana Maria não teve . quer me conhecer melhor pra tirar suas dúvidas? eu sei que Deus tem um pro pósito pra mim e sei esperar... o pior eu já passei...

Anônimo disse...

Feche as portas do passado... tem um lindo 2011 acontecendo, vc ja sorriu hoje?

Anônimo disse...

olha concordo q esta moça precise de ajuda,mas acho q estao dndo enfase demais somente pelo fato de ela ser lesbica,as outras bbbs sao tao pecadoras quanto(biblicamente falando)e precisam tanto quanto de ajuda,afinal de contas fornicação,posar nua,dar em cima de homens comprometidos eh tao pecado quanto homossexualismo,e estas coisas q citei todas elas fazem,se naum fosse o fato de ela ser lesbica ela nem seria considerada pecadora e carente de jesus,por muitos q parecem soh ver aquilo q ainda lhes parece estranho.