segunda-feira, 12 de abril de 2010

Chorona


Destroços no Morro do Bumba, em Niterói - RJ


Lamentações, lamúrias, choro, lágrimas, clamor, tristeza...
Audácia, coragem, bravura, força, diligência, persistência, constância, perseverança...
Solidão, preconceito, inimizade, indiferança...

De quem estou falando? Alguém arrisca algum palpite?

A história parece que se repete. Tudo o que ele falou parece estar inserido no contexto atual e revela-nos a atitude de um Deus irado, mas que faz tudo para corrigir a quem ama e chama a nossa atenção.

Falo do profeta "chorão", Jeremias, o magro "cadavélico" de olhos esbugalhados e que era escurraçado porque profetizava a verdade, sem se importar a quem. Profetizava o exílio de seu povo e a destruição de sua terra, e chorava e lamentava por ter que profetizar. Que disparate! E pensar que tem gente que clama e jejua para ter esse ministério.

Ele era temporal de um povo longe de Deus, que se prostituia espiritualmente ao talhar em madeiras algumas imagens que se tornavam seus "deuses", e que aceitava todos os costumes da Assíria, a quem os reis de Judá davam tributos e se achavam estar por ela protegidos.

Como hoje, fazemos como eles, bebemos como eles, nos vestimos como eles, agimos como eles, pois pensamos: "assim seremos protegidos". Falsa proteção, falsa amizade, amizade com o mundo = inimizade contra Deus. Que dó!


E o profeta "chorão" profetizava e falava contra todas as indecências daquele povo, que nem se lembrava mais de Deus. Esqueceram de todos os benefícios, cuidados e bençãos recebidas de Jeová, que os tirou do Egito, que abriu o mar vermelho, que fez sair água da rocha e os amava incondionalmente. Oh povinho de memória curta! Qualquer semelhança com nossa era não é mera coincidência, diga-se de passagem.

O período melhor da vida de Jeremias foi durante o reinado de Josias, que com oito anos, assumiu o lugar de seu pai e, conforme cresceu e amadureceu, foi consertando as loucuras de seu avô Manassés (o rei mais perverso de toda a história de Judá!) e de seu pai, que morreu precocimente .

Josias instaurou uma grande reforma ao achar o livro da lei no templo e destruir os altares pagãos, instaurados pelo seu avô, mas se deu muito mal ao tentar proteger a Assíria do Egito, o que resultou na sucessão do trono pelos seus três filhos: Joacaz, Jeoaquim e Zedequias, além do neto, Joaquim.

Realmente o que o profeta Oséias falou é a verdade, "o meu povo perece por falta de conhecimento". Sem o conhecimento da lei de Deus e de sua justiça, por profetas vendidos que falam o que povo quer ouvir e não o que precisam ouvir, Deus estava "arrasado" com a atitude do seu povo.

"Assim diz o SENHOR: Que injustiça acharam vossos pais em mim, para se afastarem de mim, indo após a vaidade e tornando-se levianos?" (Jr 2.5)

Jeremias tinha que profetizar em meio a toda essa leviandade e pelas ruas de Jerusalém, no templo, no palácio, aonde Deus mandava ele ia e dizia, e chorava, e lamentava, e se arrasava com o fim de sua Jerusalém e de seu povo.

O resultado: Ele era tachado como louco e vivia na solidão porque era rejeitado por todos. Mesmo que todas as suas profecias se tornassem realidade, como tornaram e se cumpriram, o povo, ainda assim, não reconhecia o chamado de Jeremias, o "chorão", e preferiam ver os profetas mortos à espada e transpassados por lanças.

Me identifico com ele em muitas coisas. Vida de profeta é assim... na solidão. Não que eu não tenha grandes amigos, mas minha rotina não permite que esteja sempre acompanhada por eles. Estou sempre disposta a ser autêntica e pago um alto preço para isso. Não entendem quando falo "assim diz o Senhor", porque eclesiasticamente não tenho autoridade para isso. Minha denominação é preconceituosa quanto ao chamado da mulher e por isso sou submetida a sempre ser "intrometida".

Outro detalhe importantíssimo: Jeremias era de linhagem levítica e sacerdotal. Ele era de Ananote e seu pai era "importante" no legado religioso naquela época. Homem de boa índole e que cumpria a lei religiosamente. Mas os sacerdotes estavam se esquecendo dos profetas e não os valorizavam mais. Talvez por isso Jeremias recusou tanto o chamado no início. Além do fator "sou criança", ele não era tão infantil. De acordo com a tradução criança, no texto original, tudo nos leva a crer que Jeremias tinha quase 2o anos. E detalhe: ele não quis seguir a linha de seu pai. Preferiu obedecer ao chamado de Deus.

Jeremias foi maltratado e aprisionado. Teve até um rei que rasgou o rolo escrito por Baruque, seu escrivão, e jogou no fogo, ou seja, desvalorizou fisicamente seu chamado, sem dó ou piedade. Ele foi obrigado a viajar para o Egito, era ridicularizado e foi proibido de estar em alguns lugares. Que fama!

E eu? Descubro que não posso mais voltar atrás. Porque profetizar a justiça de Deus contra o pecado e o seu juízo contra o seu povo é assinar a sentença das lágrimas.


Antes que eu te formasse no ventre, eu te conheci; e, antes que saísses da madre, te santifiquei e às nações te dei por profeta.

Então, disse eu: Ah! Senhor JEOVÁ! Eis que não sei falar; porque sou uma criança.

Mas o SENHOR me disse: Não digas: Eu sou uma criança; porque, aonde quer que eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar dirás.

Não temas diante deles, porque eu sou contigo para te livrar, diz o SENHOR.

E estendeu o SENHOR a mão, tocou-me na boca e disse-me o SENHOR: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca.

Olha, ponho-te neste dia sobre as nações e sobre os reinos, para arrancares, e para derribares, e para destruíres, e para arruinares; e também para edificares e para plantares.

Fui sentenciada. Não dá para recuar. Só me resta avançar. O mundo está clamando por socorro e não dá para fingir que tudo que está acontecendo é um mero acaso da natureza. Não dá para fingir uma tolerância diante do descaso do homem para com Deus e o próximo. Não dá para dizer chega aos rebolation e à falta de vergonha da humanidade nos relacionamentos e na inversão dos valores.

Esse é o meu chamado. Estou feliz, porque estou o cumprindo. Já relutei contra ele, mas não faço isso mais. Minha música e minha arte, minhas ministrações, projetos e liderança são em obediência ao chamado de Deus.

2 comentários:

QUEZIA... disse...

E o melhor pra se estar é o centro da vontade de Deus...

bom te ver animada e prosperando em seu ministério!

q Ele continue te dando graça e ousadia nessa caminhada!

bjooo

mell disse...

Estar na vontade de Deus é maravilhoso, o difícil as vezes é entender o que Ele tem reservado para nós. Sempre é muito mais do que pedimos ou pensamos, sempre mais.

Glória a Deus por sua vida!
Quem tem o privilégio de conviver com você sabe o tamanho do seu ministério e como ele é abençoador !